Pássaros Feridos

Resenha: Desaparecida, de Catherine McKenzie

Resenha do livro Desaparecida, de Catherine McKenzie Livro: Desaparecida
Autor: Catherine McKenzie
Gênero: Romance
Editora: LeYa
Páginas: 320
Nota: 4.5 Stars (4.5 / 5)
Onde comprar: Saraiva | Submarino | FNAC | Cultura
Sinopse: "Emma Tupper não existe mais. E por que não, então, inventar uma nova Emma Tupper? “Só poeira. É como se eu tivesse sido apagada. Transformada em cinzas.” Quem nunca sonhou em recomeçar a própria vida do zero? A jovem advogada Emma Tupper se vê diante dessa oportunidade quando volta para casa, após passar seis meses desaparecida na África. Surpresa, percebe que todos acreditam que ela estava… morta. Emma descobre que sua antiga vida foi apagada. O apartamento onde vivia acaba de ser alugado para um novo inquilino, o misterioso fotógrafo Dominic. No escritório de advocacia, no qual construía uma carreira brilhante com chances de concorrer ao cargo de sócia, sua rival Sophie se apossou não só de seus clientes e de sua sala, mas também de seu namorado, Craig. Enquanto tenta resolver o caos no qual seu mundo se transformou, Emma se questiona: ela era feliz antes de sua viagem à África? Tinha valido a pena se sacrificar tanto em nome do trabalho? Amava Craig de verdade? Queria mesmo ter aquela vida de volta? Romântico e espirituoso, Desaparecida revela a envolvente trama de uma mulher à procura de si mesma."Skoob


Recebi da editora LeYa o livro em seu formato digital, e, a princípio, não sabia qual era a sua trama, além de que não havia me despertado muito interesse só a partir da capa. Quando comecei a "folhear" as páginas, fui sendo conquistada aos poucos. Desaparecida conta sobre a chance de Emma Tupper – uma advogada bem-sucedida que tinha um relacionamento com um colega de trabalho – recomeçar sua própria vida.

Resenha do livro Desaparecida, de Catherine McKenzie

Após sofrer com a grande perda de sua amada mãe, ela recebe de herança uma passagem para uma viagem na África. Por mais que tenha rolado aquela indecisão de ir ou não (já que teria de deixar para trás uma oportunidade única em sua carreira de advogada) ela acaba decidindo aceitar a proposta feita por sua mãe. Mas lá um desastre natural acaba acontecendo, deixando ela e muitos outros isolados de qualquer meio de comunicação tecnológico. E o que era para ser uma breve viagem, acaba sendo um empecilho, já que depois de seu sumiço de 6 meses acaba sendo dada como morta, e a notícia repercutida em sua cidade, a grande Nova York.

A grande surpresa vem quando Emma finalmente consegue retornar para casa. Nada do que ela havia deixado antes de viajar estava no lugar: seu carro não estava no aeroporto, seus amigos e namorado haviam sumido… E o pior de tudo: sua casa havia sido ocupada por um estranho. E o seu nome era Dominique, um fotógrafo que também tinha seus problemas no momento. Depois de muita confusão, ele acaba acolhendo Emma, afinal ela não tinha para onde ir.

Os próximos dias depois de sua volta são bem agitados. Afinal, Emma havia voltado do mundo dos mortos e precisava dar boas explicações. Aos poucos ela vai retornando a sua vida "normal", assim vamos dizer. Mas muita coisa mudou, e não há retorno. Sua carreira recomeça do zero porque sua arquiinimiga havia tomado seu lugar na empresa, seu relacionamento está sem condições de voltar ao que era no seu início. E por mais que Dominique seja apenas um estranho em sua casa, ele parece fazer os dias de Emma ser bem menos difíceis.

O livro é narrado pelo ponto de vista de Emma, o que faz com que todos seus sentimentos sejam bem compreendidos, e isso faz com que você desperte certa aflição pela personagem. No geral, no início de cada capítulo há um flashback da viagem difícil de Emma. Ao longo do livro percebemos que Emma é uma mulher muito forte e não faz drama por qualquer coisa, como acontece na maioria dos romances (e é o que me faz ter um pé atrás com este gênero). Com certeza isso foi um fator decisivo para que ela tenha tornado minha personagem preferida da obra. Apesar disso, Dominique não ficou para trás. Acredito que Catherine McKenzie soube muito bem como caracterizar os personagens.

Desaparecida surpreendeu e superou completamente minhas expectativas. O livro basicamente retrata situações que, com certeza, eu teria muita dificuldade em superar, já que sou daquelas que odeia e passa muito aperto para sair da zona de conforto. De certo modo o livro te faz refletir sobre as coisas que você impôs para sua vida. É realmente isso o melhor para você?

Esses dias eu passei na livraria e vi o livro impresso, e olha, como faz diferença se comparado ao digital. As cores chamam muita atenção, e me fez mudar minha opinião sobre a capa. Estou louca para incluir mais essa obra na minha estante 💕

Resenha: O Livro dos Espelhos, de E. O. Chirovici
Resenha: Confissões de Uma Garota Excluída, Mal-Amada e (Um Pouco) Dramática, de Thalita Rebouças
Cinema: o que achei de La La Land?

3 comentários
  • Bárbara

    Nossa, esse livro tem uma história bem diferente, nunca tinha visto um livro situado na África. Isso só aumentou minha vontade de lê-lo. E essa capa eu achei linda!!!
    E realmente, livro físico tem muita diferença do digital!
    Adorei a resenha
    Beijos
    http://myself-here1.blogspot.com.br/

    Responder
  • Isabela

    Primeiramente seu blog é fantástico! Segundo, realmente esse livro tem uma história diferente e eu fiquei curiosa para saber o que vai acontecer. A capa parece ser bem colorida e deve ficar lindo na estante. Bjs
    http://heybooks.blogspot.com.br

    Responder
  • Camille

    Eu adorei esse livro! Achei que talvez não fosse gostar, por não ser chick lit como eu estava acostumada. Mas quando comecei a ler, não consegui parar! Achei engraçado na medida certa, romântico do jeito certo e não deixou aquele quero mais chato, foi um livro completo em si mesmo – e achei ótimo <3

    Responder