Pássaros Feridos

Resenha: As Vantagens de Ser Invisível – Stephen Chbosky

Livro: As Vantagens de Ser Invisível
Autor: Stephen Chbosky
Editora: Rocco
Páginas: 224
Onde comprar: Saraiva | Submarino | Fnac | Cultura | Curitiba
Nota: 5 Stars (5 / 5)
Sinopse: Ao mesmo tempo engraçado e atordoante, o livro reúne as cartas de Charlie, um adolescente de quem pouco se sabe – a não ser pelo que ele conta ao amigo nessas correspondências -, que vive entre a apatia e o entusiasmo, tateando territórios inexplorados, encurralado entre o desejo de viver a própria vida e ao mesmo tempo fugir dela.
As dificuldades do ambiente escolar, muitas vezes ameaçador, as descobertas dos primeiros encontros amorosos, os dramas familiares, as festas alucinantes e a eterna vontade de se sentir "infinito" ao lado dos amigos são temas que enchem de alegria e angústia a cabeça do protagonista em fase de amadurecimento. Stephen Chbosky capta com emoção esse vaivém dos sentidos e dos sentimentos e constrói uma narrativa vigorosa costurada pelas cartas de Charlie endereçadas a um amigo que não se sabe se real ou imaginário.
Íntimas, hilariantes, às vezes devastadoras, as cartas mostram um jovem em confronto com a sua própria história presente e futura, ora como um personagem invisível à espreita por trás das cortinas, ora como o protagonista que tem que assumir seu papel no palco da vida. Um jovem que não se sabe quem é ou onde mora. Mas que poderia ser qualquer um, em qualquer lugar do mundo.


As Vantagens de Ser Invisível é um livro que se dá pela união das cartas escritas por Charlie a um amigo muito querido. Percebemos que Charlie vive dramas que é comum a qualquer adolescente prestes a entrar no Ensino Médio: problemas familiares, novas amizades, relacionamentos… E vive tudo isso enquanto tem de lidar com o suicídio de seu melhor amigo e com o terrível acidente que tirou a vida de sua tia.

Charlie conhece Patrick e Sam num jogo de futebol do colégio, e a partir disso, dá se o diferencial no rumo da vida dele. Finalmente tem amigos e tudo isso é muito novo para ele. Então vai em sua primeira festa, tem o primeiro contato com drogas, primeira namorada… E tem muitas primeiras experiências.

Sam batucava com as mãos no volante. Patrick colocou o braço para fora do carro e fazia ondas no ar. E eu fiquei sentado entre os dois. Depois que a música terminou, eu disse uma coisa:

"Eu me sinto infinito."

O que te encanta sobre o livro, entretanto, não é o modo como as coisas acontecem. Bom, também contribui, porém o destaque vai para a escrita de Chbosky e para a simplicidade dos personagens, principalmente Charlie. Já ouvi muitas pessoas dizendo que As Vantagens de Ser Invisível não tem nada demais, mas aí tem um segredo: não leia esperando grande coisa. Deste modo você acabará descobrindo o que é sentir-se infinito também.

Resenha: O Livro dos Espelhos, de E. O. Chirovici
Resenha: Confissões de Uma Garota Excluída, Mal-Amada e (Um Pouco) Dramática, de Thalita Rebouças
Cinema: o que achei de La La Land?